IMPRENSA / 10 de Fevereiro 2016

Entrevista com José Márcio Camargo - Época


Ideólogo de programas de transferência de renda, José Márcio Camargo diz que a falta de credibilidade do governo vai aprofundar a recessão. O economista José Márcio Camargo, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e economista da Opus Gestão de Recursos, é um dos principais pesquisadores brasileiros de economia do trabalho, pobreza e desigualdade. Ele lançou, no início dos anos 1990, em artigos e em reuniões no PT, a ideia de criar um programa de transferência de renda condicionado à manutenção das crianças na escola. A proposta foi implantada inicialmente no governo petista do Distrito Federal e na prefeitura tucana de Campinas, em São Paulo. Depois, foi adotada pelos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, já como Bolsa Família. O olhar treinado para a dinâmica da pobreza no Brasil deixa Camargo especialmente assustado com a crise econômica. Ele acredita que só a partir de 2022 o Brasil deverá retornar ao nível de bem-estar social registrado na década passada e que, entre os diversos males econômicos atuais, a inflação é o pior – especialmente para os mais pobres.